8 de abril de 2012

UM MÊS - E assim se passaram 30 dias, ou uma vida

Sexta-feira completou um mês que fiz a minha cirurgia de histerectomia total. A quarta cirurgia em três anos. Confesso que se tem uma coisa que eu não gostaria de saber de cor e salteado é o procedimento de um hospital. Nada de novo...
Desta vez eu não tive muito tempo de refletir no caminho do quarto ao centro cirurgico, pois logo me deram a anestesia, só tive tempo de pedir “Deus, que esta seja a última, ok? Mas que seja feita a sua vontade”. Tinha passado pela minha cabeça uma plasticazinha, mas quer saber de uma coisa?? Desculpe-me as feias, mas sou linda assim mesmo!!! Rsrsrs.
E passei por esta numa boa. No dia seguinte pela manhã já estava de banho tomado, cheirosa, de gloss e vestido rosa. Afinal não gosto de repetir sempre uma roupa, e o roupão branco do hospital está virando um uniforme rsrsrs. 
E lá estava eu internada sim,  derrotada não !  Prazer - RoPertile!
Neste tempo todo (3 anos) confesso que só teve uma vez que me perdi de mim mesma. Quando uma pessoa fez uma coisa que eu havia pedido para nunca fazer, quando os pontos da primeira cirurgia ainda estavam abertos, assim como o coração. E nesta hora eu me perdi. Me perdi de mim mesma, dos meus valores e crenças. Foi muito ruim, mas como tudo na vida, passou. E de tudo, nos cabe a experiencia vivida e traduzida em fortalecimento do Espírito.
Mas aí eu lembrei que uma frase que escutei certa feita: “Espere tudo das pessoas, até mesmo que elas te respeitem” (Paulo Cordeiro). E nesta frase eu retornei ao meu princípio de causa e efeito... e assim me achei de novo – para nunca mais deixar de ser RoPertile. 
E esta última cirurgia passou, há um mês. E confesso que foi um mês muito diferente. Muita reflexão, muitas boas (e não tão boas) notícias.
Tive a agradável surpresa de um amigo muito querido que há muito tempo não tenho contato me desejando boa sorte, e rezando por mim (Que a chuva caia de mansinho em seus campos...)
Pessoas doando sangue para mim, e fazendo a maior bagunça no Hemocentro (isso mesmo, eles se esbarravam no hemocentro rsrsr). Tantas mensagens, tantos telefonemas, e confesso (já pedindo desculpas!) que algumas vezes desligava o celular para poder descansar. 
Uma coisa que trabalhei em mim foi o TOC de ver as coisas fora do lugar. Caramba!!! Que angústia ver as folhas que caíam no quintal sem poder pegar na vassoura e varrer tudo! Sem poder cozinhar, dar uma arrumadinha na casa etc. 
E assim chegamos no domingo de Páscoa. O primeiro trimestre do ano voou.
E a partir de amanhã retomo minhas atividades normalmente. Claro! Sem poder (ainda) correr, nadar e...
Mas falta pouco, muito pouco.
O mundo é dinâmico, as dores viram sonhos, as alegrias viram saudades. E mais do que isso, um mês de molho é mais do que tempo para se pensar o que fazer da vida e como proceder na vida. E é assim, amanhã é um dia de muitas mudanças.
Ah... contei para você que comecei o meu curso de Gestão de Restaurantes? Petit  Mondrian em processo de gestação...

E como diz Guilherme Arantes...

Cuide-se bem!
Eu quero te ver com saúde
E sempre de bom humor
E de boa vontade
E de boa vontade
Com tudo...

Prá nunca perder
Esse riso largo
E essa simpatia
Estampada no rosto... 

Até a próxima!

2 comentários:

  1. Ro
    você é uma pessoa especial. Consegue fazer de limões uma limonada suíça!
    Continue se dedicando à sua recuperação. Medoc está chegando!
    E nunca perca essa simpatia estampada no rosto!
    bjs
    Aurelio

    ResponderExcluir
  2. Ro, pelo jeito sua recuperação foi otima! Nada como carinho, atenção e boas energias vindas de quem nos ama, nao é mesmo?
    Aos poucos a rotina vai se reestabelecendo, mas o pior é mesmo olhar e nada poder fazer. Isso passa, alias, td passa!

    Bjs

    ResponderExcluir