14 de março de 2012

A Incrível Arte de Saborear a Vida

E assim se passou uma semana....
Desde a cirurgia estou sem poder fazer nada. Não posso abaixar, não posso pegar peso, não posso cozinhar, não posso andar rápido. Não posso ... não posso ... não posso.
Esta ingrata frase é repetida centenas de vezes durante o meu dia, mas o que fazer? Sou hiperativa e ponto!
Quando começo a pensar algo, já vem um e diz - NÃO!! Afff...
Nas conversas que tenho diariamente com as pessoas que ligam para saber notícias, sempre falo que a minha recuperação está ótimas mas eu estou muito ansiosa para que esta fase de inação possa terminar logo.
E de tanto eu escutar que tenho que ter paciência, comecei a pensar na necessidade não da paciência, mas da flexibilidade. A paciência é apenas uma parte deste processo.
A palavra-chave é flexibilidade, gerada pela rápida adaptação à situação apresentada
Não adianta eu ficar ansiosa, haja visto que eu tenho que ficar um bom tempo nesta dependência dos outros, até para levantar da cama.
E por onde passa a flexibilização? No caso da cama, é colocar alguns livros e revistas do lado, para que eu não enjoe de um só e fique irritada de ter que descansar um pouco. E assim o tempo vai passando.
Quando eu desço para o térreo, meu filho desce com praticamente uma mala (rsrssr). Livros, computador, caderno, enfim tudo aquilo que possa vir a preencher meu tempo antes que eu resolva voltar para o andar de cima.
E esta flexibilização de atividades tem feito com que eu fique mais paciente, pois cansei de ler o livro, volto para o computador e vice-versa. Sem stress ou ansiedade. Simples assim.

Até a próxima!


Nenhum comentário:

Postar um comentário