1 de novembro de 2011

VOLTANDO PARA "CASA" - Tagore

Uma das coisas que vez ou outra escuto no meu trabalho é "aqui eu emburreci".
Não concordo com isso, acredito que aquilo que conquistamos de valores e cultura, seja no trabalho, na vida social, na família, gente leva para todas as nossas vidas.
Então, eu não acredito que emburreci, mas simplesmente estacionei.
E talvez por ficar algum tempo estacionado, a gente enferruja um pouco, mas se lubrificarmos direitinho, a vida volta ao normal e retorna à sua marcha evolutiva.
E esta é a minha proposta atual, e para desenferrujar um pouco, nada melhor do que as maravilhosas palavras de Tagore, um dos meus grandes amores!
Rabindranath Tagore é um poeta indiano (1861 / 1941) ganhador do prêmio Nobel de Literatura e portador de uma sensibilidade única.
E é ele o porta-voz de meus sentimentos...

Cântico da EsperançaNão peça eu nunca 
para me ver livre de perigos, 
mas coragem para afrontá-los. 

Não queira eu 
que se apaguem as minhas dores, 
mas que saiba dominá-las 
no meu coração. 

Não procure eu amigos 
no campo da batalha da vida, 
mas ter forças dentro de mim. 

Não deseje eu ansiosamente 
ser salvo, 
mas ter esperança 
para conquistar pacientemente 
a minha liberdade. 

Não seja eu tão covarde, Senhor, 
que deseje a tua misericórdia 
no meu triunfo, 
mas apertar a tua mão 
no meu fracasso! 

Rabindranath Tagore, in "O Coração da Primavera" 
Tradução de Manuel Simões]

3 comentários:

  1. Ro, estou exatamente nesta fase... Acredito que estacionei e estou buscando formas de recuperar o tempo perdido, ou pelo menos voltar a caminhar...

    Sabias palavras de Tagore...


    bjs

    ResponderExcluir
  2. sim Márcia! Estou vendo isso agora, com Johann já em seu caminho.
    Estou procurando cursos livres para fazer de forma que não me sobrecarregue muito o horário e ao mesmo tempo me faça voltar para uma sala de aula.
    beijos!!!

    ResponderExcluir
  3. Amei Ro. Valeu a lembrança. Bjs, Gabi.

    ResponderExcluir