3 de junho de 2011

A COZINHA E EU (4): Fazendo o Impronunciável

Ontem, depois de passar horas intermináveis no supermercado fazendo compras de mês, fui para casa "colocar o umbigo no fogão".
Cheguei em casa, fui correndo arrumar as comprar e fui direto para a cozinha.
Calma... calma... antes de me censurar pelo estereótipo da dona de casa acabada, eu fui por puro prazer. Pronto... agora você vai me chamar de louca! Deixa eu explicar...
Não se se acontece contigo, mas eu trabalho fora e todo dia como em restaurantes. Sabe quando aquele parente fala que vai comemorar o aniversário e tal lugar e você acha desanimador  porque não aguenta mais a comida de lá??? Mais ou menos assim...
Até cogitei em jantar fora (com as compras ainda no carro, rsrss) mas aí  lembrei daquele Cabernet Sauvignon na adega.... a casa quentinha neste frio que visita o Rio... Hum...vamos cozinhar em casa!
E aí eu resolvi fazer o prato impronunciável: um HOLLANDSE BIEFSTUK. Não se assuste! O prato é infinitamente mais fácil do que o nome. Copiei (e adaptei) a receita do restaurante Warong (comida indonésia e holandesa).
Então, chega de blá blá blá e vamos à receita:

Hollandse Biefstuk

Ingredientes:
- Meio quilo de filé mignon em cubos médios
- 1 cebola cortada em cubos grandes
- 1 lata de champignon em conserva lavado (a receita pedia fresco, mas como não consegui achar, acabei lavando-os para tirar o gosto acre da conserva)
- 1 colher de sopa de manteiga
- 2 colheres de molho shoyo
- Noz-moscada
- Sal

Modo de Preparo:
Doure a cebola com a manteiga.
Acrescente o molho shoyo com 40 ml de água e deixe reduzir o volume.
Acrescente os demais ingredientes e deixe cozinhas até que a carne esteja cozida.
Quem gosta de noz moscada, pode caprichar , porque ela perde um pouco o seu aroma ao cozinhar

Eu não tirei foto porque estava ro-xa de fome, e não quis ainda preparar prato, máquina, etc.,por isso usei a foto do Cybercook.
Embora a foto deles esteja com outros acompanhamentos, eu fiz apenas um arroz branco básico e uma salada simples para poder saborear o prato sem interferir no paladar.

E o melhor? Saboreei o prato com aquele Cabernet Sauvignon delicioso Do Concha Y Toro, e depois da janta abri aquele prosecco Salton na sala, sentadinha no sofá, filosofando...não foi melhor do que parar em um restaurante???

Até a próxima!

3 comentários:

  1. Ei Ro!
    tá certo que deve ser uma delicia, mas que nome é esse?
    tentei falar mas só travou a língua!
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Realmente o prato ficou muito bom, não fiocu maravilhoso porque no provador aqui não atentou para o fato da Noz Moscada perder aroma e sabor ao ser cozida! Fui obrigado a dar minha opinião por escrito, ou então passaria fome pelo resto da vida!

    ResponderExcluir
  3. não tenha dúvidas disso!!
    iria amargar o feijão, arroz e ovo por muuuiiito tempo rrsrsrs
    bjs

    ResponderExcluir