28 de junho de 2011

VAMOS CORRER (1): Desafio da Marathon du Medoc

Semana passada eu acabei machucando o meu joelho caindo na rua (sem comentários!!!). A situação ficou pior porque há 15 dias eu já havia caído quando meus cachorros "trançaram" suas coleiras nas minhas pernas e eu não dei a devida importância, acabando com as duas rótulas inflamadas. Resumo da ópera: tive uma uma contusão sobre a inflamação.
O ortopedista que me atendeu na emergência me disse que eu precisava fortalecer a musculatura da perna, já que quando a gente entra nos "enta" , tudo começa a descer ladeira abaixo! rsrsrs
Então eu comecei a montar uma estratégia para poder me dedicar a uma atividade física, mesmo porque há algum tempo eu estou incomodada com minha inatividade (física)
Acaba sempre tendo um monte de coisas para fazer depois de chegar do trabalho - fazer janta, arrumar alguma coisa, chegar cansada ... enfim, mil empecilhos! E assim a academia vai sendo colocada lá pro final das prioridades.
O que também nunca funcionou comigo foi aquele velho discurso de que sou gordinha e bláblábla, porque minha auto-estima é lá em cima, e me acho bonita do jeito que sou. E claro, inteligente e interessante (sem falar modesta rsrsr) Então, dizer que tenho que falta eu emagrecer X quilos para eu ficar linda não funciona comigo.
Outro discurso utilizado que são os problemas de colesterol, açúcar etc também não funciona porque tá tudo bem na fita.
Então pensei, pensei, pensei ....
E resolvi correr em 2013 a Maratona do Vinho, na França, a Marathon du Medoc. Simples assim!
Esta Maratona ocorre em setembro, e para eu poder correr os 42 km, eu tenho que me preparar fisicamente correto? Aí, como "sub-tarefas" do meu plano maior estão o treino diário e a musculação.
Como há muito tempo eu não faço exercício físico de impacto, estou começando a fazer um treino de condicionamento.
Comecei ontem (segunda) e acredite se quiser, com um frio de cerca de 13º eu saí para caminhar ás 5 da manhã. Um frio... uma escuridão... chuviscando... mas lá fui eu, rumo ao meu objetivo de participar da Maratona do Vinho.
Primeiro eu dou uma volta de aquecimento com os cachorros no quarteirão. Depois coloco eles dentro de casa e saio para minha caminhada de 40 min iniciais.
Estou começando pela caminhada porque só consegui marcar meu ortopedista na semana que vem, e claro! não sou nem louca de entrar em um projeto destes sem acompanhamento médico né???
Tem gente que fica duvidando de mim, rindo, brincando. Já falei que é melhor ele abrir o olho e dar um jeito de correr, e que só vai comigo para a França quem for correr, e isso inclui o filhote. Quando eu estiver correndo mesmo, ele vai começara  em acompanhar. Bom... isso ele disse...
Mas para que meus objetivos não fiquem muito distantes, estou planejando a Meia Maratona de Buenos Aires daqui a um ano... Que tal?
Eu encontrei este planejamento na internet para iniciantes do esporte e gostei bastante. Estarei mostrando ao meu médico semana que vem, para ele aprovar (ou não!) para minha condição física. Já estou até pensando que terei que me exercitar com uma joelheira, pelo menos por enquanto.
Até a próxima!

24 de junho de 2011

A COZINHA E EU (6): Tornedor de filé ao molho shiitake

Hoje cheguei do trabalho e resolvi fazer algo de diferente. Fiquei matutando sobre algo diferente de tudo que já fiz e escolhi fazer um tornedor de filé com molho shiitake. Confesso que deu um trabalhinho achar em pleno Rio de Janeiro o cogumelo shiitake fresco, mas com um pouco de perseverança, achei em uma rede de hortifrutigranjeiros.
O prato ficou delicioso e servido com um Pinot Noir frances, ficou dos deuses!
Então lá vai a  receita (já com as adaptações).
Tornedor de filé ao molho shiitake
- Tornedos
- 6 tournedos  (o meio) de filé com um dedo de espessura
- 1/2 limão
- copo de vinho seco branco
- Sal e pimenta-do-reino a gosto
- Misture todos os ingredientes e tempere os tournedos;
- Deixe marinar de um dia para o outro, na geladeira.

Molho de Shiitake:
- 250 g de cogumelos shiitake frescos
- 1 colher (sopa) de manteiga
- 1 colher (sopa) de óleo de gergelim
- Sal a gosto
- 1 colher (sopa) de vinho seco branco
- 1 xícara (café) de leite
- 1 caixinha de creme de leite (200 g)
• Corte o Shiitake em tirinhas de 0,5 cm de espessura;
• Em uma frigideira, coloque a manteiga, o óleo de gergelim e, quando começar a dourar, acrescente o sal e o vinho;
• Quando tudo estiver bem quente, frite o shiitake até ficar quase sequinho, e então acrescente o leite e o creme de leite;
• Quando ferver, coloque 1 colher (sopa) do molho de Shiitake em cima de cada tournedos;
• O tournedos deve ser frito em gordura quente, e servido em chapa quente.
Dica especial: Não se deve lavar o shiitake. Caso haja algum resíduo de madeira, limpe delicadamente com papel toalha.

O molho ficou maravilhoso, sem comparação com qualquer molho que eu já tivesse feito até hoje. A carne marinada com limão ficou bastante diferente, mas não tão saborosa quanto pensei que ficasse. O limão "brigou" e ganhou do vinho.
De qualquer forma, vale a pena fazer pelo molho, que é divino!

Até a próxima!

12 de junho de 2011

Meio Ambiente.. continuo não entendendo...

No Dia Mundial do Meio Ambiente, foi publicado no site Ambiente Brasil que a ministra do Meio Ambiente Izabella Teixeira disse que a população precisa colaborar com a Coleta Seletiva. Segundo ela, “A simples atitude de separar o lixo facilita o serviço dos catadores”.
Aí eu volto na questão da falta de reflexão que comentei no Dia Mundial do Meio Ambiente, da questão da coleta seletiva. Sim, legal! muito legal! Tenho certeza que toda a população vai aderir. Mas como fazer com que os caminhões de lixo não juntem tudo na caçamba?? 
Aqui no Rio, no site da Comlurb diz ter a coleta seletiva em minha rua. Sinto muito mas eu NUNCA VI esta coleta ser realizada. E olha que eu fico com meus saquinhos de recicláveis separadinhos em casa, esperando.
Este assunto está mais nas mãos do poder público do que dos cidadãos, pois antes de querer que a população faça a Coleta Seletiva e separe o resíduo em suas portas, o governo deve promover formas de realizar esta coleta o mais eficiente possível, o que eu - particularmente - não consigo ver.
Para mim é a mesma coisa de que pedir à população que construa sua rede de esgotos e o poder público não faz o sistema de drenagem da rua para fora...
Acredito que estamos na hora de repensar ambientalmente o que geramos, nos preocuparmos para onde vai tudo isso.
E esta bandeira não é apenas a bandeira de quem luta pelo Meio Ambiente, é  a bandeira de quem quer viver em um ambiente mais saudável.
Ao invés do governo falar sempre para nós realizarmos a coleta seletiva, eu gostaria que ele me apresentasse um plano para viabilizar esta coleta. 
Uma outra questão a levantar... como estão as condições de salubridade destas cooperativas de catadores? Alguém sabe?

Até a próxima! 


10 de junho de 2011

A COZINHA E EU (5): Bacalhau Gratinado

Na semana passada, passei no supermercado e trouxe um bacalhau para fazer. E qual foi o melhor dia?? Nesta quinta-feira chuvosa no Rio, nada melhor do que um prato delicioso com um belo vinho.
Eu sou fã do Pinot Noir, então passei na Bardot e trouxe, junto com o espumante Toso, que é, digamos... minha segunda paixão!!! rsrs

Escolhi uma receita de bacalhau gratinado que ficou deliciosa!
O bacalhau que comprei no mercado não era tão saboroso, já estava embalado inclusive.
Em breve irei repetir a receita, mas com o bacalhau que compro sempre lá na CADEG, que é o melhor lugar para comprar aqui no Rio o verdadeiro bacalhau, o Mohua Imperial. Ah.. e também o mais barato.


Bacalhau Gratinado
1. Ingredientes
1.1. Bacalhau
1/2 kg de bacalhau
1/2 kg de batata
1 cebola grande
1 tomate vermelho
1/2 pimentão
1/2 colher de sopa de extrato de tomate
1/3 da garrafinha de leite de coco
Alho, sal, alecrim e azeite de oliva a gosto
Azeitonas pretas
1.2. Molho
1 copos de leite
1 colher de sopa de farinha de trigo
1 colher de sopa de manteiga
1 ovo
Noz-moscada, pimenta-do-reino e sal

2. Preparação do Bacalhau
- Deixe o bacalhau de molho por 24 horas mudando sempre a água
- Escalde numa rápida fervura removendo peles e espinhas
- Coe a água onde o bacalhau foi cozido e reserve
- Tempere o bacalhau em lasquinhas, com alho, sal e alecrim
- À parte, coloque uma caçarola no fogo com azeite de oliva e as cebolas em rodelas
- Adicione os tomates sem pele e sem sementes, o pimentão e as azeitonas picadas
- Junte o bacalhau, o extrato de tomate, o leite de coco e um pouco da água onde foi cozido o bacalhau
- Deixe tudo cozinhar bastante (Fica com farto molho e o bacalhau se incorpora totalmente ao refogado)
- Cozinhe separado as batatas em rodelas.

3. Preparação do gratinado
- Bata no liquidificador o leite, a farinha de trigo e a manteiga derretida
- Leve ao fogo e mexa bastante até engrossar a mistura
- Junte a noz-moscada, a pimenta-do-reino, o sal e o ovo batido

Unte um pirex grande com azeite depois de ter esfregado por dentro dele um dente de alho (Deixa um gosto bom)
Arrume em camadas de batata no fundo e intercale com o bacalhau
Cubra tudo com molho e leve ao forno para gratinar.

Eu sempre sirvo com arroz branco que é para não confundir o paladar na hora de saborear. Esta receita serve três pessoas.
E aí, uma boa pedida para o fim de semana,não???
até a próxima!

5 de junho de 2011

DIA MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE: Falta de Reflexão ou Hipocrisia?


Como eu já comentei em alguns posts, procuro ser ambientalmente correta. Faço compostagem do material orgânico gerado em casa, separo o lixo seletivamente, reaproveito as embalagens, tiro as tomadas da energia, enfim, faço uma série de ações - para mim ainda muito poucas - para a manutenção de minha casa.
E finalmente chega o Dia Mundial do Meio Ambiente. Legal de ver: "Viva o verde!! Viva a água!!"
E começo a pensar se o problema sou eu ou se são os outros.
Como falei, eu faço coleta seletiva em casa. Separo tudo direitinho, e na hora de passar adiante, lá vai tudo junto no caminhão do lixo. Aqui perto de casa não tem lugar nenhum onde possa colocar o lixo separado. Aí, para ser coerente com o que faço, lá vou eu ligar para a prefeitura, COMLURB etc para dar a destinação adequada o meu resíduo, coleciono protocolos de atendimento e ... nada. Nenhuma resposta do governo, os órgãos competentes. Somente respostas tipo "estamos encaminhando aos órgãos competentes". E aí eu pergunto, o quanto adianta o cidadão fazer sua parte se o governo não faz?
Eu economizo água. Mas e quanto aos milhares de vazamentos nas ruas que desperdiçam milhões de litros de água à olhos vistos?

Hoje aconteceu uma coisa bizarra. Na loja em que eu compro meus "horti-frutis", tinha uma propaganda de você presentear um amigo de forma ambiental, dar uma sacola retornável de presente. Por módicos R$ 5,99.
Fui escolher alguns alimentos orgânicos, mas ficou impraticável. Todos eles embalados em filme plástico e bandeja de isopor, para facilitar a vida do "ambientalmente correto". Ganhamos alguns centavos na não utilização de sacolas plásticas para levar nossas compras mas TODOS os alimentos estão em saquinhos plásticos, isopor, filmes ou garrafas de plástico.
E aí eu quero acreditar que esta falta de coerência é por falta de reflexão, não por hipocrisia.
Afinal, como utilizar a sacola retornável com dezenas de saquinhos de plástico lá dentro ou comprar alimentos "verdes" embalados em produtos que duram 500 anos para desaparecer do meio ambiente?
E como para mim esta conduta é falta de reflexão do todo, eu já idealizei uma proposta para as pessoas levarem suas compras sem usar dezenas de saquinhos, e amanhã estarei enviando um e-mail para esta rede de hortifrutigranjeiros. Falar só não basta, reclamar é fácil, o difícil é sair da inércia que o ser humano vive e dar sugestões para melhorias da sociedade. Pelo menos eu estou tentando.
Quando ao poder público, vou continuar a separar meu resíduo e ocupar a linhas telefônicas e encher caixas de emails, afinal sou um beija-flor. Não tenho dúvidas disso!

Aliás, nada melhor do que lembrar nosso querido Betinho, que contava esta parábola:
Houve um incêndio na floresta e enquanto todos os bichos corriam apavorados, um pequeno beija-flor ia do rio para o incêndio levando gotinhas de água em seu bico.
O leão, vendo aquilo, perguntou para o beija-flor:
"Ô beija-flor, você acha que vai conseguir apagar o incêndio sozinho?"
E o beija-flor respondeu:
"Eu não sei se vou conseguir, mas estou fazendo a minha parte".


E você que lê este post, está fazendo sua parte?
Até a próxima!!

3 de junho de 2011

A COZINHA E EU (4): Fazendo o Impronunciável

Ontem, depois de passar horas intermináveis no supermercado fazendo compras de mês, fui para casa "colocar o umbigo no fogão".
Cheguei em casa, fui correndo arrumar as comprar e fui direto para a cozinha.
Calma... calma... antes de me censurar pelo estereótipo da dona de casa acabada, eu fui por puro prazer. Pronto... agora você vai me chamar de louca! Deixa eu explicar...
Não se se acontece contigo, mas eu trabalho fora e todo dia como em restaurantes. Sabe quando aquele parente fala que vai comemorar o aniversário e tal lugar e você acha desanimador  porque não aguenta mais a comida de lá??? Mais ou menos assim...
Até cogitei em jantar fora (com as compras ainda no carro, rsrss) mas aí  lembrei daquele Cabernet Sauvignon na adega.... a casa quentinha neste frio que visita o Rio... Hum...vamos cozinhar em casa!
E aí eu resolvi fazer o prato impronunciável: um HOLLANDSE BIEFSTUK. Não se assuste! O prato é infinitamente mais fácil do que o nome. Copiei (e adaptei) a receita do restaurante Warong (comida indonésia e holandesa).
Então, chega de blá blá blá e vamos à receita:

Hollandse Biefstuk

Ingredientes:
- Meio quilo de filé mignon em cubos médios
- 1 cebola cortada em cubos grandes
- 1 lata de champignon em conserva lavado (a receita pedia fresco, mas como não consegui achar, acabei lavando-os para tirar o gosto acre da conserva)
- 1 colher de sopa de manteiga
- 2 colheres de molho shoyo
- Noz-moscada
- Sal

Modo de Preparo:
Doure a cebola com a manteiga.
Acrescente o molho shoyo com 40 ml de água e deixe reduzir o volume.
Acrescente os demais ingredientes e deixe cozinhas até que a carne esteja cozida.
Quem gosta de noz moscada, pode caprichar , porque ela perde um pouco o seu aroma ao cozinhar

Eu não tirei foto porque estava ro-xa de fome, e não quis ainda preparar prato, máquina, etc.,por isso usei a foto do Cybercook.
Embora a foto deles esteja com outros acompanhamentos, eu fiz apenas um arroz branco básico e uma salada simples para poder saborear o prato sem interferir no paladar.

E o melhor? Saboreei o prato com aquele Cabernet Sauvignon delicioso Do Concha Y Toro, e depois da janta abri aquele prosecco Salton na sala, sentadinha no sofá, filosofando...não foi melhor do que parar em um restaurante???

Até a próxima!