25 de maio de 2011

SIMPLICIDADE VOLUNTÁRIA (5): Cafés e Cafés

Eu li um material sobre resíduos sólidos urbanos que diz que 60% dos resíduos gerados são orgânicos, isto quer dizer que, juntando do os recicláveis, quase 85% dos resíduos gerados podem ser tratados.
Assim eu comecei a separar os resíduos orgânicos para colocar no meu jardim. Cascas e polpas de frutas, verduras e legumes, já que aqui em casa o consumo de alimentos saudáveis é bem grande. Desde que comprei meu processador de sucos, as "caixinhas" foram abolidas. Isso também faz parte da minha filosofia de simplicidade voluntária.
Continuo combatendo a visão de quem acha que simplicidade voluntária é desleixo e pobreza, a pessoa mal cuidada. Não tem nada a ver.

Semana passada conversando com uns amigos, eu disse que tomar um café expresso em um café francês, em frente a Torre Eiffel é muito mais simples do que tomar um café expresso em uma cafeteria em Miami. Aí todos riram de mim durante vários minutos, alguns balançavam a cabeça como quem diz "ela está ficando mais biruta a cada dia que passa"... que papo de maluco, claro, até eu expor me ponto de vista. rsrsrs
Se a gente olhar as fotos dos cafés parisienses, sempre vamos ver pessoas chiquerésimas lendo seu jornal e com uma bela xícara de café. E qual a diferença do que vemos nas fotos com o americano? O americano degustando um delicioso café (tanto quanto do francês) mas com um "belo" copo de café feito de isopor ou plástico.Essa é a diferença.
Conversando com este povo que estava rindo de mim, perguntei o que mais se vê nos filmes e seriados americanos? o tal copo de isopor na mão dos mocinhos.

Aí, juntei a ideia que a xícara francesa é reutilizada infinitas vezes, e que o copo americano é utilizado apenas uma vez e aumenta o volume de lixo urbano, permanecendo no meio ambiente por tempo indeterminado.
Então eu expus a minha ideia, de que a simplicidade voluntária também é agir de forma a proteger o meio ambiente. É não prejudicar mais o que já prejudicamos - a Mãe Terra.

Uma frase que amei foi a de minha amiga blogueira Marcia, do blog Eu Quero Simples, ela me disse em um e-mail: " Simplicidade é fundamental, pelo menos pra mim, pra ter um pouquinho de equilíbrio nesse mundo doido que a gente tá vivendo...Já é difícil, então pra que complicar, né?
Não estou fazendo campanha a toda a população para parar de tomar café na rede americana, muito pelo contrário! Mas ter uma visão ambientalmente correta mesmo nos pequenos detalhes (eles também ter xicaras rsrsr). Tenha a certeza absoluta que os pequenos gestos farão toda a diferença. Isso é se ver como parte do ambiente, sem discurso vazio ou projeto de reciclagem na Feira de Ciências do filho.
Uma outra amiga blogueira, a Lilly, do Isso é coisas de Lilly, que me disse que estamos conectados pelas idéias, e se eu tenho uma ideia boa, porque não mostrá-la para os outros amigos, que podem curtir a ideia e disseminá-las entre seus amigos, e assim criarmos uma grande rede de "pessoas simples".
Isso porque nosso mundo virtual extrapola qualquer barreira que podemos imaginar. Nossas ideias ultrapassam fronteiras, credos, e se todos vivemos no mesmo planeta, não tem jeito mesmo, porque não começar a pensar naquilo que nos faz mais ligados ao planeta?
Fazer da minha casa uma casa com energia solar, captação de água de chuva, minhocário, reciclagem... A minha alma gemida diz todos os dias que sou doida, mas acho que não... Digo para ele que falaram a mesma coisa de Einstein, de Gagarin, de quem projetou o primeiro foguete, o primeiro submarino, e olha o mundo mudando! Pelo menos a nossa casa vai ser assim!! e ponto final! afinal
Como diz o ditado:
"Tudo o que acontecer à terra, acontecerá aos filhos da Terra"

14 de maio de 2011

ENTRADAS E BANDEIRAS (4): Geiser Tatio Mallku

Terminando este pedaço da minha viagem do norte do deserto do Atacama, eu fui visitar um dos grandes pontos do Chile.
No Geiser Tatio Mallku, localizado em uma bacia geotérmica a 129 quilômetros ao leste da cidade de Calama e a 90 quilômetros ao norte de San Pedro de Atacama, a cerca de 4.320 metros de altitude. Viu como a distância do Geiser para Calama ou São Pedro não é assim tão discrepante? Por isso no post anterior falei que se economiza mais ficando em Calama.
 Em determinadas partes do Tatio existem anteparas que não podem ser ultrapassadas, porque  o solo é tão frágil que pode ceder e cozinhar quem estiver nele - literalmente.
 As grandes colunas de vapor saem para a superfície através de fissuras na crosta terrestre, alcançando a temperatura de 85°C e 10 metros de altura.
 O complexo tem cerca de 10km e é vapor d'água pra tudo quanto é lado!
Os gêiseres de Tatio são formados quando rios gelados subterrâneos entram em contato com rochas quentes.
A maior atividade termal dos geiseres do Complexo de Tatio é bem cedinho, algo tipo "sol nascendo". Isso quer dizer que para ver o Tatio voce tem que sair de casa ainda no escuro, e o mais complicado (para uma carioca então nem se fala...), que é pegar em uma temperatura de - 4°C no verão. Sem noção do frio que é!!! O interessante é que no frio mortal tem uma piscina natural com água quentinha, relaxante, que pode tomar banho, mas o problema é sair congelando!
 Esta é a vicunha, a dona do parque. Este animal agora é protegido porque chegaram à beira da extinção por causa da sua pele.
 Após este passeio fomos à floresta de cactus (!!!!), passando pelo vulcão ativo "La Putana"
No fim, já na parte da tarde, com um calor próximo a 40 graus (que diferença térmica durante o dia!!!), fomos à famosa cachoeira do parque dos cactus. Claro que acostumada com as cachoeiras do nosso país, ri deles, mas depois me arrependi e pensei que para eles, no meio do deserto, aquilo era uma dádiva de Deus!
Até a próxima!

13 de maio de 2011

ENTRADAS E BANDEIRAS (3): São Pedro do Atacama

Saindo da aduana depois do Deserto de Salar, fomos para a cidade de São Pedro do Atacama. Fala-se muito desta cidade por ser o povoado de um sítio histórico, mas eu achei um saco!
São Pedro do Atacama é considerada a capital arqueológica do Chile. Estima-se que este povoado existe há mais de 11.000 anos. 
Não tem nada lá, a não ser preços exorbitantes e infra-estrutura ruim. Tivemos que passar nossa noite comendo sanduíche com vinho, por falta de coisa de coisa melhor. Na cidade só tem mesmo venda de artesanatos e lembranças. Caríssimos!!!
Durante o dia a cidade fica deserta, porque estão todos nos passeios pelos sítios arqueológicos. Estivemos pesquisando depois que passamos por lá, e fica mais em conta se hospedar na cidade de Calama, ao norte do sítio arqueológico, e apenas visitar São Pedro do Atacama, já que as cidades são mesmo para dormir.
Ficamos no hotel Katarpe, com uma proprietária bastante simpática, que ficou perplexa em saber que aqui no Rio a umidade relativa média é de 65% enquanto lá chega a 20%. Em certos períodos do ano é de 6%. Para você ter uma idéia, a Organização Mundial de Saúde determina que UR de 20% é estado de alerta e abaixo de 12% é considerado estado de emergência.
a Igreja acima foi construida em 1557
Como não chove, as construções tem o telhado de adobe (tijolo de argila seca) e um tipo de palha. Viagem total!! Dá para imaginar um telhado assim no Rio de Janeiro, com esta chuva toda de hoje? Rsrsrs
Na região tem uma coisa fantástica que é o turismo astronômico (não conhecia essa hein???). Com toda aquela altitude e o deserto, o céu é apropriado para observações astronômicas. Agora... como as estrelinhas aparecem à noite (pena ...) prepare-se para congelar, com temperaturas negativas e sensação térmica chegando a -20C. 
onde estou??? 
Tanto que na propaganda dos passeios está escrito “transporte e bebida quente” rsrsrs
Lá também tem o vale da Lua, que parece que estamos em outro planeta ... ou na lua!
De São Pedro fomos para o Tatio Mallku, conhecer os geisers, mas isso é outra história!!!

11 de maio de 2011

ENTRADAS E BANDEIRAS (2): Salta

Cá estou eu... ainda de molho em casa. A febre cedeu mas ainda estou me cansando muito.
Na verdade a minha vontade agora é de sair para pedalar, dar uma super-volta com os cachorros, mas não posso :o( . Repouso, repouso, repouso.
Então, para não surtar de vez (você não imagina o que é um TDAH ter que ficar repousando...) resolvi escrever sobre a cidade mais maravilhosa, mais fantástica, aquela que vai ser visitada novamente em breve -  SALTA.
Salta "la linda" fica a noroeste da Argentina, e é a cidade que existe antes de subirmos a Cordilheira para o Chile.
MAAM
A primeira coisa a se falar de La Linda é seu Museu de Arqueologia de Alta Montana, que guarda as múmias mais bem conservadas de todo mundo, los Ninos de Llullaillaco.
Estas três crianças incas foram oferecidas em rituais para o Sol. Estes foram escolhidos desde o nascimento. No ritual eles foram embebedados com chicha (aguardente de milho), colocados em sestas de vime e congelados. Por conta deste processo e das condições que se apresentaram na época - frio extremo e pouca umidade - os corpos foram muito preservados. Isso aconteceu há mais de 500 anos atrás.
La Doncella - 15 anos
El Nino - 7 anos

La Nina Rel Rayo - 6 anos
Enquanto eu levitava entre os mais diversos locais da praça onde se encontra o MAAM – sim, porque existem outros museus menores próximos -  o piloto aguardava pacientemente em um barzinho na praça. E durante horas ele me via volitando entre as mais diversas portinhas...
Saímos daí e fomos para um lugar bem empoeirado que era um misto de adega, cervejaria e champanheria. Com a garrafa do champanhe Chandon a uns 15 reais, nem preciso dizer que este foi mais um desejo realizado, beber muito champanhe regado a sanduiche de miga de presunto. Foi a glória!
Voltando ao Hotel Alto Parque, um hotel muito aconchegante e acolhedor, lá fui eu dormir. Para os que me conhecem e conhecem meus sonhos loucos, imaginam bem o que aconteceu! Quando o dia é muito elétrico para mim, eu acabo juntando tudo em sonhos.
Durante a viagem de Resistência a Salta, vimos várias faixas e pichações com os dizeres “As Malvinas são nossas”.  Isso quer dizer que quando fui dormir, sonhei que eu e La Doncella estávamos na sacada do quarto vendo um desfile onde a rainha da Inglaterra passeava conversando meu vira-latas Custódio (!!!). Nem preciso dizer que eu acordei gargalhando né?
Dos dois dias que passamos em Salta, para mim foi inesquecível, e estou programando quando voltar de Machu Picchu , passar por lá de novo. Afinal a Enterprise (nosso carro) existe para ir audaciosamente onde nós sonharmos.
Eu não sei se já te contei, mas eu sou apaixonada pelo General San Martin, o libertador das Américas. Para dar vazão à minha paixão gratuita por ele, em cada cidade, vilarejo, entradinha que passávamos eu tirava uma foto da estátua dele. Em cada cidade da Argentina, Chile, Paraguai e Uruguai tem uma rua e uma praça San Martin. 
Pela rota do vinho, fomos de Salta para El Calafate, reduto da civilização inca. Mas isso já é uma outra história...
Até a próxima!

10 de maio de 2011

ENTRADAS E BANDEIRAS (1): De Susquez a São Pedro do Atacama

Como eu disse no meu primeiro post, eu escreveria minhas viagens sem ser de forma cronológica, a partir do momento que eu fosse lembrando dos detalhes. Vou aproveitar o momento reclusão obrigatória e vou escrever alguns posts sobre o assunto.
Eu tenho um colega meu do trabalho e sua esposa que vão para Machu Picchu de moto passando por San Pedro do Atacama agora em meados do ano, onde fui em 2007 de carro.
Revolvendo algumas lembranças do meu alfarrábio mental, resolvi escrever estes posts até mesmo para passar algumas dicas para o louco casal - tão louco quanto nós (of course) !! Não acredita?? Pois então visite o blog dele - Viajando de Moto por Aí...
A entrada no Chile foi por Susquez, na Cordilheira dos Andes, mas esta parte está descrita no post CORDILHEIRA DOS ANDES - Susquez, Quebrada de Humahuaca
Já tinham se passado mais de 3.500 km desde que saímos de casa, e ainda tínhamos mais Cordilheira para subir, subir, subir... 
De Susquez a São Pedro do Atacama eram uns 300km dentro do deserto de Salar. Uma região inóspita, que já tinha sido fundo de oceano e que agora chegava a 4.320m de altitude, e dá-lhe falta de oxigênio e nariz a sangrar.
E haja estrada!! Para percorrer tanto chão só com muito rock'n roll!! (é ... uma vantagem nossa sobre a moto- o som rsrsrs)
 E haja sal no caminho!!! Tudo branquinho... Aqui, quem fosse receber o salário (pagamento em sal) estaria milionário.
E para nós, imaginar pessoas morando nestes locais tão a ermo, sem vegetação, água, é surreal. Eu ficava olhando casas totalmente isoladas mas com cercas delimitando o terreno e eu me perguntava: porque proteger "o nada"? Não consegui entender.
Tivemos alguns amigos no caminho, o de brinquinho então era muito fofo. Mas cuidado! Eles são mal-educados, adoram cuspir na gente!
Finalmente chegamos a San Pedro do Atacama, onde entrei em uma briga ferrenha com a aduana, pois eles procuravam avidamente qualquer produto perecível - leia-se minhas maçãs. Foi muito interessante porque a grande preocupação deles não era nada ilegal ou de valor, mas algo que pudesse contaminar as plantações, o que depois durante toda a viagem, consegui compreender, pois a agricultura deles no norte do Chile é muito pobre devido às condições climáticas e de solo, e qualquer infestação, seja por micro-organismos ou animais (insetos, aracnídeos, etc) poderia ser devastadora.
Finalmente chegamos à San Pedro de Atacama, entramos após eu devorar todas as minhas maçãs sentada na fronteira, sem hotel para dormir, sem destino.
Mas isto é uma outra história...
Até a próxima!

TÔ DODÓI...

Tô dodói, e como todo dodói, estou carente!
Neste domingo, Dia das Mães, eu e o filhote passamos o dia... na emergência!!! Isso mesmo.
Comecei a passar mal de noite e pela manhã não consegui caminhar com Sam e Roxy. Não consegui fazer todo o percurso devido a uma incrível falta de ar.
Como isso nunca aconteceu, fui com Johann para o pronto-socorro. E exame daqui, exame dali, constatou-se uma pneumonia. Ainda inicial, que bom que corri logo!
E sabe aquela semana no trabalho que você tem milhares de coisas para fazer?? Pois bem, continuam lá. E continuarão até semana que vem. rsrsrsrsrs
E todo mundo fala: - descanse, se agasalhe...
E sabe o que aconteceu?? Minha empregada simplesmente sumiu do mapa. Não ligou, não deu notícias. Nada!
E me diz, como ficar deitada cuidando da casa??
Alguém sabe como fazer almoço, arrumar as coisas pela força do pensamento?
Alguém sabe como ela consegue só mexendo o nariz?? Estou precisando aprender - URGENTEMENTE.

Até a próxima!!

7 de maio de 2011

FAÇA VOCE MESMO (5): Sache Perfumado de Sagu

Eu havia publicado um post sobre sachês muito prático de fazer, com incenso para colocar no meio das roupas.
Aí uma colega minha do trabalho disse que a aparência ficava muito feia, embora ninguém fosse ver pois ficava no meio das fronhas e edredons.
Então, cá estou eu, desta vez com um sachê feito de sagu. Tem o mesmo efeito do feito com incenso, com a diferença que este dá mais trabalho e claro, é mais bonito
Material:

  • 20 ml de essência de sua preferência (continuo amando a lavanda);
  • 30 ml. de fixador;
  • Corante a base de óleo a gosto (opcional, mas eu não gosto de usar porque se pegar um que solta tinta....)
  • 500 g de sagu de mandioca;
  • Fitas para acabamento;
  • Mini-botão de rosas desidratados (se quiser decorar mais)
  • Filó ou outro pano fininho.
Modo de fazer:
Misturar tudo em uma vasilha de vidro. 
Deixar secar por duas horas. Só após a secagem é que o sagu vai ficar soltinho e perfumado.
Depois é só rechear o saquinho, decorar com a flor e fazer um laço bem bonito!

Tem o mesmo efeito no anterior, de incenso, só fica mais bonitinho, e serve até de lembrança para algum convidado de sua casa.



Até a próxima!

1 de maio de 2011

A COZINHA E EU (3): Posta de Cação Assado

Não sei como é a sua prole, mas a minha tem um problema sério com espinha de peixe! Johann, que é a personificação da preguiça não come peixe simplesmente porque não gosta de catar espinhas.
Então, ou ele não come peixe e cisca o prato todo ou eu perco um tempão catando as espinhas dele. Claro que cato! Sou mãe, mimo Johann e quero que ele coma peixe!!! rsrsrs
Como eu mesma já não aguento mais comer frango (estamos diminuindo a ingestão de carne vermelha), resolvi fazer um peixe especial fim de semana.
E assim eu fui escolher um peixe que não tivesse espinhas, para fazer no almoço de domingo. E o escolhido foi o cação, que só possui a espinha dorsal.
Comprei ontem algumas postas e resolvi fazer assado. Fiz uma receita muito simples, básica mas valeu a repetição do prato por parte da prole... Bom sinal!
Como o cação não absorve muito bem os temperos, tem que ficar marinando por um tempo (algumas horas).
Receita do meu marinado para esse peixe:
- sal e pimenta branca à gosto,
- coentro
- alecrim
- 2 dentes de alho
- 1 limão (eu não gosto muito do gosto limão na comida, por isso coloco pouco)
- um pouco de molho shoyo (eu amo mas se vc não gostar, tire)
- uma folhinha de louro
É bem básico, e vale as suas próprias variações.
Na hora de assar, coloque em assadeira com azeite. Eu sempre polvilho gergelim preto tostado, para dar o diferencial no gosto. Assando15 minutos de cada lado e está pronto um prato saudável que a prole não reclama de catar espinhas! O cação não é tão saboroso quanto outros peixes, como o dourado ou namorado, mas fica muito gostoso se você deixa marinar por um bom tempo, pode até ser de um dia pra outro.
Eu não consigo utilizar todo o tempero que compro, por exemplo, um molho de coentro é muita quantidade haja visto que faço o suficiente para a refeição, pois não gosto de que a comida role na geladeira.
Como eu acho um desperdício jogar fora o tempero, eu congelo o excedente.
Não é pelo valor, afinal um molho de coentro custa alguns centavos, mas pelo simples fato que um ser vivo - mesmo um vegetal - morreu para que eu pudesse me alimentar. Então (filosoficamente) eu acho um despedício de vida jogar fora - mesmo um simples coentro. E isso faz parte da Simplicidade Voluntária.
Então, quando eu comprei o livro Ervas Culinárias, eu aprendi a preservar o tempero no congelador por até seis meses.
Comprei este livro depois da segunda vez que perdi minha horta de ervas por causa das chuvas (muito) fortes aqui no Rio, pois este livro ensina o cultivo. A propósito, para quem gosta e tem interesse em cultivar mesmo em pequenos espaços e armazenar temperos, este livro é muito bom!
O que se faz?  O excedente que sobrou do tempero fresco (coentro, cheiro verde,manjericão) e lavo e coloco a solução antisséptica. Depois eu pico pequenininho (diminui o volume) e coloco na forminha de gelo. Completo com água filtrada e coloco no congelador. Depois que os cubinhos de gelo e ervas ficarem congelados, pode tirar e colocar em um saquinho para armazenar. Para utilizar coloca-se direto na panela - simples assim!

Até a próxima!