12 de abril de 2011

WISH YOU ARE HERE

Passou-se mais uma quinzena. Fiquei fora de casa, com saudades de meu lar mas o mundo não parou de girar. O tempo passou, as coisas caminharam como escrito na Lei de Deus, e tudo prossegue.
Como você está careca de saber, para mim é muito triste ficar longe de casa.
Mas eu acredito muito no que nós fazemos com nosso pensamento, e eu tinha duas opções: ou ficava 15 dias triste, irritada e mau-humorada e ter uma bela dor de estômago ou ficava 15 dias triste mas aproveitando a presença de amigos que pouco tenho oportunidade de ver por causa do trabalho agitado de cada um, de bem com a vida . E eu resolvi ficar bem, como contei no post anterior. É tudo uma questão de escolha. Eu não tinha que ir por ser meu trabalho? então que eu passasse da melhor forma possível. Ah... e claro! o tablete GG do chocolate estava maravilhoso!! Comi pedacinho por pedacinho, com o último deles na hora de entrar no helicóptero para desembarcar.
Mas é impressionante o número de pessoas que ficam se martirizando por situações que não tem jeito ou já estão presas no passado. Vixe! Quem gosta de passado é museu, quem fica parada no tempo é a porta - e isso por falta de opções.
Mas nós temos a liberdade de escolha, e eu vou sempre escolher estar bem. Assim com todo mundo, sofro, fico triste, passo dificuldades, choro,caio e levanto, mas me deixar abater pelas dificuldades da vida seria a pior coisa a fazer.
Eu conheço uma pessoa assim, fica apontado o dedo para o o outro e culpando-o pela sua infelicidade. Burra desta pessoa, que delegou a sua felicidade para outro. A felicidade é tão "pessoal e intransferível" que eu acho burrice e incompetência delegá-la a outra pessoa que não a nós mesmos!
 E por falar nisso, apesar do intenso trabalho doméstico que vivo nesta folga, hoje foi um dia especial.
Convidei Johann para ir comigo em um rodízio de pizza e lá  conversamos horas a fio! Tudo aqui em casa SEMPRE começa pela música, Pink Floyd, Deep Purple... e acaba comigo contando as histórias da família.
Ele está na fase "anarquia" e fomos conversar sobre a filosofia anarquista e claro! ele entendeu até mesmo algumas atitudes minhas. E por incrível que pareça, ele me pediu para pegar na Histórias e Estórias o livro "Anarquistas Graças a Deus", de Zelia Gattai.
E de tanto falar de música e política, corremos para casa para escutar o bom e velho Pink Floyd, o dvd Pulse. Até mesmo para ele entender porque aqui em casa não vale o "all in all it´s just another brick in the wall".
E no mais, a vida é feita de bons e maus momentos, e nenhuma das duas situações é eterna.
Até a próxima!!

3 comentários:

  1. Querida Rô.
    Estou tentando mais uma vez fazer meu comentário a respeito desta oportuníssima reflexão sobre a maneira de encararmos a vida (nosso dia a dia)pessimista ou otimista ?
    Agora, com minha mãe já com oitenta e oito anos, percebo que quando o Mestre Jesus disse para nos modificarmos, "enquanto daria tempo",não foi apenas visando a Vida Futura, mas também e principalmente a terceira idade, até porque "aquele país de jovens", já chegou a "longevidade" e com ela, a "falta de memória", o Alzeheimer, etc.
    E o que fica ?
    Fica de cinco em cinco minutos perguntar a hora, o dia da semana, etc, etc ... e também as Lembranças, e aí é que mora o "problema", pois se na juventude eu fui "pessimista", "derrotista", na terceira idade "com problemas", exacerbo tudo, centuplicando o "pessimismo". Resultado: Não há quem aguente ficar ao lado de uma pessoa "pessimista" ao extremo !!! isto fora o "psiquismo" ao Desencarnar !!!
    Por isto, Léon Denis recomendou o uso do "Pensamento Apagador", toda vez que um Pensamento ou Sentimento Negativo surgir, é por aí mesmo, o caminho ... substituição do Pensameto para podermos "plasmar" Momentos mais Felizes em nossa Vida, Concretizando nossos Sonhos !!!
    Bjs.
    Tania

    ResponderExcluir
  2. AMEI SEU COMENTÁRIO!!
    Leon Denis realmente é brilhante!
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Os dias se sucedem...e as experiências nos fazem cada vez mais, capazes de utilizar as potencialidades, inerentes aos seres humanos, para que evoluamos através dos caminhos cosntruídos dia a dia.
    Ah as experiências nos e dos relacionamentos!!!! Salve!!!
    Então, que sigamos com elas..."Para frente e para o alto!" Parafraseando Denis.
    beijos
    Magdala

    ResponderExcluir