26 de dezembro de 2010

SEM RÓTULO MUSICAL - Meu Jeito Nando Reis de Ser

E hoje é domingo 26... depois do Natal. Todos ainda com a ressaca da troca de presentes, super-mercados e shoppings lotados.

E aqui estou eu... em casa escutando a minha tão falada e idolatrada vitrola. E hoje foi dia de Blues Etilicos e Stanley Clarke e claro! um prosecco gelado.
Mas na verdade não é sobre isso que quero falar. É justamente do outro lado, da minha "face oculta" rsrsrs.
Nestes dias comprei um DVD muito legal do Nando Reis, o Bailão do Ruivão. Neste DVD ele cantas as músicas que fazem parte dele, que ele gosta e que geralmente assistimos ao final dos shows dele.
E ele vai de Wando a Bob Marley em um pulo. Chegam até a jogar uma calcinha para ele na música do Wando. Para quem é fã do cara, um DVD que não pode faltar em casa.

E seguindo a linha do " eu gosto e pronto!" eu confesso que, apesar de todo blues, todo rock que habita minha vida, eu tenho uma grande paixão: Sidney Magal.
Isso mesmo! O grande mestre Sidney Magal. E olha... voce ficaria surpreso em ver o numero de pessoas que curtem o mestre. Tanto que seu nome hoje em dia é cult.
Você acredita que o DVD dele está esgotado? Há meses tento comprar e não consigo. Os shows dele lotam e tem mais, estão até fazendo novos clipes das músicas mais famosas.

Então é isso, abaixo os estereótipos do bom e do ruim, do brega e do chique, do cult e do óbvio. 
Como nos diz Skinner: "Não considere nenhuma prática como imutável. Mude e esteja pronto a mudar novamente. Não aceite verdade eterna. Experimente." (Skinner, 1969).
E como alguns sabem, meu aniversário foi ontem, dia 25, Natal. O meu parabéns sempre foi a música "Envelheço na Cidade" do IRA! (Feliz  Aniversário; envelheço na cidade...) mas ontem foi diferente, experimentamos o "Parabéns pra Você" convencional. Claro! Com o Johann tocando na guitarra. Vamos mudar.. aos poucos! rsrsrs
 

Até a próxima!





22 de dezembro de 2010

LA POSTA - Matando as Saudades de Posta del Malbec

Na minha busca por conhecer as vinícolas latino-americanas, eu conheci um lugar maravilhoso da região de Lujan de Cuyo, próximo de Mendonza.
Nestas andanças, conheci uma vinícola chamada Carinae, cujos donos são os franceses Brigitte e Philippe, muito simpáticos! depois, em outro post conto a historia deles e de Carinae... prometo!
Eles me indicaram um lugar para almoçar, chamado Posta del Malbec.
Este lugar foi realmente mágico! Um cantinho super-aconchegante onde recebi o máximo de atenção possível, e o principal, com uma gastronomia divina. Comi um filé com aspargos frescos feitos no Malbec que você não tem noção do que seja!
E o vinho então? Digno do selo de Baco. O vinho escolhido foi um Phebus Cabernet Sauvignon 2004, da vinícola Fabre Montmayou. Comprei um exemplar para degustar em casa, na esperança que ele se reproduzisse na minha adega, o que infelizmente não aconteceu. 
Acontece que este vinho  não é comercializado no Brasil. Imagine minha tristeza. Mas a saída vai ser uma outra viagem à Mendoza rsrsrs!
Ao procurar novos rótulos na minha adega preferida no Rio, a Bardot, acabei encontrando um vinho da mesma região do Phebus. Claro que trouxe para casa mais que depressa um exemplar. Este vinho se chama La Posta, da mesma região de Lujan de Cuyo  e com uma combinação perfeita de Malbec, Bonarda e Shiraz. Simplesmente fantástico!
Todo o buquê que exala quando a gente abre o vinho impregna o ambiente. E para a degustação deste vinho, fiz questão de prová-lo em minha taça de sommelier de cristal búlgaro (chiquerésima!!). Aliás, taça ideal para degustação pois a borda larga e fina proporciona aspirar todo o buquê no primeiro contato com o vinho. Compare a relação entre o tamanho da taça e a garrafa tradicional de vinho na foto...
Enfim, foi uma lembrança maravilhosa deste dia tão especial nos arredores de Mendoza.
A propósito... deixa eu te mostrar como ficou linda minha sala com o rack novo, que acomoda agora a minha vitrola e guarda todos meus discos de vinil. Tem coisa melhor que degustar um vinho de Mendoza escutando um B.B. King - original????
Até a próxima!

1 de dezembro de 2010

A FAMILIA CRESCEU - Apresento o Novo Membro

Como eu escrevi no post do Custodio, este meu amigo valoroso morreu há algumas semanas. Ele era ainda novo com oito anos e confesso que não estava preparada para isso.
A Labralouca também sentiu muito, pois apesar do tamanho GG (mais de 40 kg) ela não tem nem dois anos e foi criada desde bebê com ele, isso sem falar que Johann também ficou arrasado!
O tempo foi passando, a Sam ficou mais triste ainda, mais carente e aí surgiu a Aline, uma protetora de animais, que tem em casa cerca de 20 cães abandonados. Além disso ela participa do projeto Abrigo da Serra para cães idosos, doentes ou muito grandes, de difícil adoção.
E assim lá em casa apareceu Roxy di Purple. O nome é uma união das bandas Roxy Music e Deep Purple (Deep passou para di, sabe como é...dar um charme italiano). 
O cara chegou ontem lá em casa completando 3 meses, é um Shit-zu e já chegou movimentando a rotina da casa.
A Aline o entregou no "petmercado" Bicharada e já foi o maior rebuliço! O cara é realmente muito fofo, e foi a festa na Pet. Ele, que ja demonstra ser bastante espaçoso, já foi se aninhando em uma caminha, foi cercado de mimos e já saiu de lá com enxoval completo.
Chegando em casa, a grande preocupação era com Sam, como ela iria reagir?
Qual foi nossa surpresa que a Sam adotou Roxy imediatamente e assim que eles se familiarizaram, começaram a brincar. 
Sam gostou tanto que acabou dividindo seu osso com ele, na maior calma. E aí eu tenho que dizer - esta cadela é 10!!!!
O mais engraçado de tudo foi que depois que os meninos curtiram muito ele, o Roxy subiu sozinho no skate e ficou lá, só curtindo!
Bom, depois do skate, para ele ser o cão perfeito só falta curtir o bom e velho rock'n roll!!

Até a próxima! 


28 de novembro de 2010

DISCOS DE VINIL - Nostalgicamente Cool

A música sempre me acompanhou. Meu pai sempre gostou de escutar música, e eu sempre o acompanhei nesta paixão.
Lembro da nossa primeira vitrola, uma sharp que dava para colocar vários LP para não precisar ficar mudando sempre.
Meu pai sempre comprava os discos para mim e meu irmão e lembro que meu primeiro disco foi o "The Wall" de Pink Floyd.
O tempo foi passando... meus discos me acompanharam por onde passei.
Quando veio a tecnologia dos CD, confesso que demorei muito a me render ao som limpo e cristalino.
Afinal, eu cultivava aqueles LP com os chiados, de uma gravação original da década de 50 de Mama Thornton e tantos outros!!
Uma vitória! Consegui o Sgt Pepper's Lonely Hearts Club Band ORIGINAL!!! A capa dupla plastificada!!!
Comprei cd, dvd, enfim tudo o que tinha música, pois é a música que me faz feliz!
O tempo passou e eu guardei a vitrola AIWA que meu pai comprou, há muito tempo atrás.
Com eu sou apaixonada por cinema  e música eu tinha adaptado meu som para sair como som stereo, juntando o DVD ao som. E sempre sonhando com a vitrola que meu pai deixou para mim...
Até que finalmente eu comprei o home teather que sempre quis e assim trouxe da casa de meus pais a tão falada vitrola. Minha mãe trouxe com apenas 4 discos para testá-la e se necessário mandá-la para o conserto. E qual foi minha surpresa ver que depois de mais de 15 anos, a tal funciona melhor que qualquer mini-system!
Por “acaso”, o LP que minha mãe trouxe para testar foi um de Stanley Jordan, que dia mais feliz!  Johann que nunca tinha visto algo tão antigo se emocionou ao escutar  Stairway to Heaven com este fantástico guitarrista.
Foi uma noite inesquecível! E vem muito mais por aí... Afinal só vieram quatro de uma coleção que quase duzentos, que sobreviveram guardados por quase vinte anos esperando por este momento mágico!
Até a próxima!!!




14 de novembro de 2010

CUSTODIO DE FREITAS JUNIOR - Um amigo de valor!

Hoje para mim foi um dia muito triste. Durante a madrugada o meu querido Todinho faleceu em meus braços, vítima de um ataque cardíaco.
No início de 2000 eu fiz uma daquelas mudanças radicais na vida. Tinha decidido aceitar novas oportunidades e devido ao trabalho me mudei para Macaé. 
Deixei minha casa, minha família, meus amigos, coloquei Johann (então com cinco anos) em baixo do braço e fui para Macaé.
E com um filho pequeno, uma geladeira e um fogão, fui embora com um sonho a viver.
Macaé é uma cidade muito complicada, desculpem os que gostam de lá mas eu não me adaptei em nada, e chegou um momento em que a saudade de tudo e de todos falou mais alto. Nesta época, como era difícil instalar um telefone fixo no bairro onde morava, não tinha como conversar com os amigos, ou as facilidades de hoje da internet.
 
  Eu tinha uma cadela vira-latas muito fofa lá, a Angélica, mas em um belo dia que eu estava no Rio, a empregada deixou a porta aberta e Angelica sumiu. Como ela era a minha "grande confidente", fiquei muito triste e só.
Assim, um belo dia, meus pais chegaram com uma caixa de sapatos onde tinha lá dentro um filhote de 28 dias da cadela do meu irmão, que tinha dado luz a uma ninhada e mamãe escolheu o menor de todos.
E assim surgiu Custodio de Freitas Junior, ou Todinho para os íntimos.
Ele cresceu cheio de mimos, dormia com Johann, brincava direto e acima de tudo ficava quietinho me olhando enquanto eu desabafava com ele.
E assim se passaram os anos, e eu tive a benção de poder voltar para o Rio, junto daqueles a quem amo e claro! Com Todinho como o mais novo membro da família!
 Todos os meus amigos conhecem Todinho, que se aproveitava dos meus descuidos e corria para pedir um pedacinho de pão para as visitas (rsrsrsr)
Todas as vezes que eu me preparava para embarcar, ele já conhecia a bolsa e enquanto eu arrumava o capacete, o uniforme, ele se escondia embaixo da cama e ficava quietinho.
Quando voltei para o Rio, meu pai já doente, eu me mudei para um apartamento no mesmo prédio que ele. Todos os dias meu pai dava a desculpa de ver se o Todinho estava bem, mas na verdade ele ficava na minha casa escutando meus cds.
 
Passaram-se os anos e mudei para esta casa. Claro que meu grande amigo veio com status de rei da casa, ainda mais quando a Labralouca chegou.
 
Mas há algumas semanas ele começou a apresentar uma tosse insistente, e como estava muito frio e úmido aqui por estas bandas, começamos a tratá-lo como bronquite. 
Como não melhorou, hoje, domingo eu já tinha agendado de levá-lo à clinica para fazer um raio x para a Gisele (veterinária) analisar melhor.
 
Infelizmente não deu tempo. De noite eu senti ele tendo uma contração e quando fui ver ele já estava morrendo. Teve um ataque cardíaco e não tinha nada para fazer, apenas segurá-lo e esperar ele morrer.
Realmente foi muito triste, afinal foi meu companheiro canino durante anos. 
Agora temos a labralouca, que está meio desorientada, lá fora sentada na varanda ainda esperando por ele. Mas isso passa, a vida continua e a evolução dele como princípio espiritual também.
Confesso que vai ser muito chato estes dias sem ele, até me acostumar, mas ... fazer o que? Ficam as lembranças divertidas de anos de convivência.
Valeu Sr. Custódio de Freitas Junior!!!

11 de novembro de 2010

STAKE ON BOARD - Criatividade a Mil! (Tribo dos Taligado II)

Uma coisa que sempre programei na vida quando Johann chegasse na fase de adolescente, seria procurar uma casa perto de um shopping para ele poder começar a "abrir as asas" mas sob a supervisão da mãezona aqui. Assim ele poderia ir para o shopping lanchar ou ir ao cinema com os amigos sem pagar o mico de a mãe o levar. E para adolescente, voce sabe, tudo é mico!

Sempre fui também o tipo de mãe que prefere que o filho traga os amigos para ficar em casa do que a garotada ficar andando pela rua ou em casa que não conheço. Assim, desde que ele é pequeno que minha casa vive cheia de "sobrinhos". (E claro! Estoques de copos descartáveis, pipocas, pratinhos, etc.)

estacionamento de skate na varanda
E agora ele está na fase do SKATE OR DIE.
Ele conheceu um grupo de amigos que também amam o skate, e eles andam todos os dias à tardinha. É bom porque o filhote TDAH (déficit de atenção e hiperatividade) volta para casa morto de cansado, e assim dorme cedo para a escola. Mesmo com 14 anos, ele tem o hábito de dormir no máximo às 22:00hs, o que é ótimo para o rendimento escolar. claro! sendo extremamente criativo, ele e os amigos ficam bolando eventos (como a sessão de filme de terror), passeios, etc.
Ontem eu cheguei em casa e quando estava me aproximando do portão, escutei um "reco, reco", "toc, toc". O que seria aquilo? 
Mais uma vez eles comprovaram a frase (atribuída) de Einstein: "se um problema não tem solução, use a imaginação".
Eu tinha prometido a Johann que no Natal encomendaria no serralheiro para ele uma rampa portátil de skate, para ele montar em casa. Como ele (impaciente que é!!!) não quis esperar, ele e os amigos passaram pela rua e acharam jogado um armário velho.
Sem qualquer vergonha pegaram o armário e levaram para a minha casa e começaram o desmanche. 
Estão lá, serra, serra serra, prega, prega, prega...
O jardim está de pernas para o ar! Entre uma serrada e outra tem a parada para a pizza, o mergulho na piscina, enfim.
Só assim que uma casa pode ser feliz, com muita energia rolando, com o astral da meninada lá em cima porque eles estão criando uma rampa para eles, estão exercendo a criatividade.
Eles podem até não ter (ainda!!) jeito com as ferramentas nem muito jeito para fazer as coisas, mas o importante é a disposição em inovar, em materializar seus sonhos e vibrar no fim de tudo! Só não sei quanto tempo esta rampa vai aguentar sendo carregada por aí...
Tá Ligado???

9 de novembro de 2010

QUE NOITE BEM DORMIDA - Depois de tanto tempo...

Depois de meses de noites mal-dormidas, tenho que dizer em alto e bom som! Ah... que noite bem dormida!!! E acredite se quiser, foram 12 horas de sono, na boa... sem remédio nem nada!!!
Em junho me submeti a uma cirurgia de cancer de mama, mas creio que nunca tive coragem de dizer isso abertamente, talvez pela fragilidade da situação. Sei lá... coisas de minha cabeça...
Ontem fiz os últimos exames e o que mais me apavorava : o dopler. Foi assim que descobri os tumores.
Eu achei engraçado quando entrei na sala de exames e a Dra. Vania me disse: "Rô, tô de saco cheio de te ver aqui. Hoje teremos boas noticias e não quero te ver tão cedo!"
Da primeira vez que fiz exame com ela e foram diagnosticados os tumores, ela chegou para mim e disse: "se voce esperar um pouco, atendo a última paciente e a gente desce para tomar um porre"
E aqui estou eu... seis meses depois, curada e feliz, chorando sim! mas de felicidade porque a minha estrada teve algumas pedras, mas continua linda!
Aos que rezaram por mim agradeço com todas as minhas forças!
A vida ...  é bonita e é bonita!!!

30 de outubro de 2010

SESSÃO CINEMA - Um Noite de Filme de Terror

Uma coisa que sempre gostei foi de reunir pessoas em minha casa. Amigos, familiares, enfim! A minha casa foi escolhida com o propósito de receber as pessoas que gosto.
E hoje foi um destes dias. Estamos há muito tempo marcando uma sessão de filmes de terror aqui. Não que eu goste, não gosto mesmo! Mas marquei por causa dos meninos, do Johann e seus amigos que adoram contar uma vantagem e mostrar que não têm medo de nada!
Claro que a casa foi apropriadamente preparada para a ocasião...
 Comecei os preparativos logo cedo. Já tinha passado em algumas lojas de festas e planejado todo o ambiente...
A sessão de cinema foi servida de cachorro-quente, pipoca e guloseimas, afinal... temos que fazer uma "bomboniere" como em qualquer sala de cinema!
Mas para dar uma incrementada no clima de terror, comprei umas baratas de plástico e misturei com as guloseimas de goma (ah... maldade pura!), comprei um fantasma com detetor de presença e coloquei embaixo da toalha do lavabo e para completar, um zumbi para colocar na escada.
O clima ajudou muito. de tarde começou a chover forte e relampejar. No início foi tudo incrível! Os meninos chegaram, lancharam, riram até dizer chega! Cada um disse que já tinha visto todos os filmes de terror desde criancinha. Acredito que eles viam "O Exorcista" no lugar de Telletubies!!
O Johann selecionou "Terror em Amityville", "O Exorcista" e "Quarentena". Achei estranho ele ter alugado o último, pois passou em 2009 na escola dele (trabalho sobre contaminação viral) e ele quase passou mal! Mas tudo bem...
Depois de todos alimentados, foram sentar para ver o primeiro filme - Terror em Amytiville - e esta foi a cena ainda na abertura do filme, tirada com a luz infra-vermelho da máquina...
Alguns minutos depois, ainda em uma das cenas iniciais do primeiro filme, eles já estavam um pouco mais tensos...
No meio do filme, o telefone tocou e eles começaram a gritar, porque lembraram do filme "O Chamado". Até me culparam de estar passando trote, mas quando viram que não era eu, foi um desespero só! Até dizer que era a mãe de um deles querendo saber se estava tudo bem, eu já tinha dado boas gargalhadas!
Depois de muitos gritos e lamentos, resolvi ficar aqui pela cozinha mesmo e escrever este post, mesmo porque eles não querem que eu suba para o quarto.
Estou achando muito difícil deste sessão de cinema terminar. Na sequência vem "Quarentena" e tem já gente pedindo para parar. E ainda falta "O Exorcista"...
Mas enquanto eles não jogam a toalha, fico por aqui, morrendo de rir dos jovens corajosos que estão ali na sala de estar!!!
Até a próxima!

9 de outubro de 2010

TRAUMAS AFETIVOS

foto: Lago Nehual Haupi (Argentina)









A mídia costuma divulgar as grandes tragédias coletivas, como enchentes e guerras.
Ela também trata com frequência de eventos ruidosos, a exemplo de assassinatos, assaltos e outros crimes violentos.
Entretanto, há um gênero de conduta discreta e bastante comum, que causa enorme número de vítimas.
Trata-se das lesões afetivas.
As relações humanas nem sempre se estabelecem com o critério desejável.
Movidas por carências ou mesmo por leviandade, as criaturas estabelecem vínculos sem grandes reflexões.
Elas se conhecem em variados ambientes, como no trabalho, em clubes, em bares ou mesmo pela internet.
Sem indagar da existência de real afinidade, permitem-se importantes intimidades.
O conhecimento da essência de alguém demanda tempo e convivência.
Ninguém se mostra como é em rápidos e reduzidos contatos.
Por conta da afoiteza em estabelecer vínculos, é comum o desespero em extingui-los.
Nesse jogo de conhecer, provar e descartar, as pessoas são tratadas como objetos.
Contudo, o ser humano sempre é merecedor de respeito.
Por mais que se apresente frágil e lamentável, em seus hábitos, trata-se de uma criatura de Deus.
A ninguém é lícito iludir o semelhante.
Por vezes, a criatura a quem se experimenta, no jogo dos sentidos, possui graves problemas íntimos.
Como enferma emocional, deveria ser alvo dos maiores cuidados.
Quem a despreza assume grave responsabilidade em face da vida.
As angústias que a vítima vivenciar, os atos que vier a praticar a partir dos maus tratos recebidos, serão debitados a quem lhes deu causa.
É muito importante refletir a respeito das expectativas que se suscita no semelhante.
Pouco importa que os costumes sociais sejam corrompidos e que condutas levianas pareçam comuns.
Cada um responde pelo que faz.
Quem lesiona afetivamente o semelhante vincula-se a ele.
Na conformidade da ordem cósmica, a consideração e a fraternidade devem reger o relacionamento humano.
Aquele que se afasta desses critérios candidata-se a importantes padecimentos.
Trata-se da vida a ministrar os ensinamentos necessários para a educação de cada Espírito.
Assim, ninguém lesa o semelhante sem se lesar também.
Quem provoca sentimentos de inferioridade e rejeição desenvolve complexos semelhantes.
Até que repare o mal que causou, não terá paz e nem plenitude.
Se forem muitas as lesões afetivas perpetradas, imenso será o esforço necessário para cicatrizá-las.
Convém refletir sobre isso, antes de iniciar e terminar relações, sem maiores critérios.
Afinal, será preciso reparar com esforço todo o prejuízo causado com leviandade.

Redação do Momento Espírita.
Em 07.10.2010

7 de outubro de 2010

"NÃO CONCORDO COM VOCÊ"- A Incrível Arte da Surdez

fotos: Maceió
Uma das coisas que eu acho mais interessante no ser humano é o que chamo de "a incrível arte de saber o que o outro vai falar". Isso mesmo! Sabe quando voce está desenvolvendo uma idéia e o outro interlocutor te interrompe, e ainda te diz que está errado antes de voce completar seu raciocínio?
Sabe... eu posso estar ruiva como contei no post anterior, posso ser loira e estar cansada de ser chamada de burra (óh... pobres mortais...) mas se tem uma coisa que aprendi na vida foi analisar as coisas criticamente. 
Não a crítica pela crítica, pois esta é estúpida, mas a crítica pela análise do que se fala e do que se faz. 
Há algum tempo atrás eu tentei - isso mesmo, tentei - conversar sobre sistema de cotas, e tentei (mais uma vez uso este termo!!!) explicar porque sou contra o sistema de cotas para a Universidade. 
Voce acredita que eu não consegui sair desta frase? Aconteceu exatamente o que descrevi no título: a incrível arte da surdez! Ninguém deixou eu me explicar. As pessoas - que só escutaram esta frase me crucificaram com estatísticas, vozerios, falatórios ao mesmo tempo. Claro que acabei ficando quieta, mudando de assunto. Simplesmente porque ninguém me deixou concluir meu pensamento.
E aproveito este espaço para exteriorizar minha idéia. Eu realmente sou contra o sistema de cotas para a Universidade. Eu acho que a oportunidade é dada muito tarde, quando o indivíduo já está com a base educacional falha. Por exemplo: a maior nota do estudante que passou no sistema de cotas para a minha carreira no vestibular é menor do quer a nota do último colocado. Para mim fica claro que a maioria dos estudantes terão dificuldades, mesmo porque o ponto de corte da primeira fase da UERJ, por exemplo, já é apenas 40% de acerto. Voce pode até dizer que alguns que entram no sistema de cotas estão nos primeiros lugares, ok! concordo, mas quantos não conseguem acompanhar e desistem?
Agora, se voce me deixou falar até aqui - pelo menos me leu - deixa eu colocar meu ponto de vista.
Eu acho que o sistema de cotas deve começar em dois momentos, dando duas oportunidades distintas: a primeira seria no colégio de aplicação, quando o aluno faz prova para a 5a série do ensino fundamental e quando ele vai para o segundo grau, para a escola técnica. Se o aluno cotista entrar nestes dois momentos, ele terá muito mais oportunidades. Entrando em um colégio de aplicação, como CAP-UERJ, CAP-UFRJ, etc, o aluno terá uma base sólida de ensino, e entrando no ensino médio técnico, ele poderá escolher se quer ou não cursar a Universidade. Pelo sistema de cotas atual, a estrutura educacional só dá a oportunidade de se profissionalizar através da faculdade.
Pelo que imagino de sistema de cotas eficiente, temos não só um aluno com capacidade de disputar em pé de igualdade com qualquer outro, mas também um aluno que pode escolher entre ser um técnico, fazer um concurso público, enfim, damos um leque maior de oportunidades e perspectivas.
Nem sei se deixei claro o que penso ser correto, afinal nunca me deixaram falar até o final!! rsrsrsrs
enfim!
até a próxima!



29 de setembro de 2010

VIAGENS - Fim de Semana na Estrada

Bom.... como uma boa representante do grupo de "Mentes Inquietas", tem horas que simplesmente cai o transformador, começo a embolar tudo e o melhor nestas horas é simplesmente desconectar do dia-a-dia e abstrair de tudo.
Com o ano extremamente difícil que tem sido 2010, com a sobrecarga de trabalho das últimas semanas, somando doença do Johann neste mês, audiências na justiça e outras coisas, semana passada foi uma destas que deu "shut down" na planta. 
Meus neurônios simplesmente pegaram o primeiro barco e foram pescar em Bora Bora!
Então eu fui para Minas Gerais passar sábado e domingo, rever uns amigos em Passos, comemorar o niver da coisa mais fofa chamada Dani Paim e desconectar dos problemas da semana e restaurar a saúde do corpo e principalmente do Espírito. E como eu estava precisando!

A viagem foi extremamente agradável, e eu, como fotógrafa de carteirinha, sempre estava com minha máquina em mãos.
No caminho do Circuito das Águas tem um alambique chamado Paraíso cujo cartão de visitas, tanto da sede quanto da lojinha no meio da estrada, são bonecos bebuns muito engraçados, que ficam no meio da estrada e que eu fiz questão de tirar foto junto.
Ficou muito maneiro!

Como voce pode perceber, hoje o papo está "menos" do que nunca, pois o que quero mesmo é mostrar as fotos que A-DO-REI!
Quando meus neurônios voltarem de Bora Bora, eu volto a pensar em textos mais elaborados, ok?



Até a próxima!