5 de novembro de 2009

PUNTA TOMBO – Pinguins de Magalhães

Bom, como eu já tinha saído de Ushuaia, eu vim do sul passando por Rawson e andei em direção a Puerto Madryn, pela Ruta Provincial nº 3 (asfaltada). Depois de mais uma reta infinita, vem um cruzamento com a Ruta Provincial nº1. Entrando nesta estrada, tem cerca de 107 km de estrada de chão para andar até a reserva.
Então cheguei a um lugar chamado PUNTA TOMBO, que é uma reserva ecológica de pinguins de Magalhães. Mais do que uma simples reserva faunística, é a maior colônia destes simpáticos animaizinhos que existe, tendo cerca de quinhentos mil indivíduos.
E são tantos que se perde de vista a quantidade de ninhos e de pingüins que passam na nossa frente. Até sinalização de preferência existe! Olha que eles não cedem um milímetro no caminho, você que saia!
Existe uma recomendação da reserva que diz : “se mira y no se toca”. Esta recomendação tinha que ser seguida pelos pingüins, pois eles são tão curiosos que chegam perto de você, bicam sua calça. Teve um deles que ficou fascinado pela minha máquina fotográfica pequena (prateada) que ele veio sem a menor cerimônia investigar o objeto brilhante.
Cheguei lá no fim da tarde, quase fechando a reserva, mas foi sem sombra de dúvidas o melhor momento, pois presenciei a volta das fêmeas que saem para pescar.
Na realidade, acredito que os machos da nossa espécie deveriam aprender com os pingüins, pois são monogâmicos e os machos partilham da criação dos filhos. Além disso, eles são extremamente carinhosos com a fêmea, e cantam de alegria quando elas regressam. Bom... este canto tem uma explicação. O som que ele emite para a sua fêmea é único, de forma que ela quando chega e se depara com milhares de pingüins, sabe exatamente onde está sua família. Como fui lá no fim de novembro, os bebês pingüins já tinham nascido e estava uma verdadeira festa!
A única coisa que cortou meu coração foi ver um macho cuja fêmea não voltou. Ele passou o tempo todo chamando ela na beira da praia, e eu chorei tanto! Sentei e chorei copiosamente. Hoje em dia, já senhora de minha sanidade, me pergunto o que aqueles adoráveis animaizinhos pensaram desta cena...
Lá também existem outros animais em coexistência pacífica (como os guanacos) e claro, os predadores. Teve algumas aves predadoras que ensaiei espantar dos ninhos, mas fiquei com medo de ser expulsa da reserva.
Um momento único na minha vida! vi um deles perto de uma bateria e tentei fazer com ele tivesse a percepção de risco de estar perto de um produto corrosivo, mas ele me olhou com a cara mais idiota do mundo e não quis dar muito papo para minhas orientações. Bom, pelo menos a foto ficou boa ...
No fim deste dia maravilhoso, feliz por fazer novos amigos, ainda tive uns 250 km pela frente, até a cidade mais próxima, mas foi aí [de noite e a mais de 200 km de qualquer lugar no meio de uma estrada argentina] que caiu a ficha de que o tanque estava quase vazio . Mas isso é outra história...

2 comentários:

  1. Rô, que coisa mais linda! O que são esses pinguins? Me diz uma coisa... Vc consegui resistir e não tocar em nenhum deles? Eu sei que não deveria, mas na hora... acho que eu não resistiria fazer um carinho. Será? Só mesmo na hora para dizer!

    bjs,
    Carol

    ResponderExcluir
  2. Não se preocupe com isso, Carol. Eles vem até voce para te xeretar, e acabam se "esfregando" em voce. Eles são LINDOS !!!!
    dá vontade de trazer para casa, com certeza!
    bjk

    ResponderExcluir