25 de outubro de 2009

"TOPA? Topo, porque não? Vamu cair pra dentro!"

Para quem me conhece, sabe que para mim a melhor coisa do mundo é chegar na minha casa depois de um dia de trabalho, agarrar muito meu filho e brincar com a labralouca e o vira-latas. Sem contar alimentar os peixes, ver se os caranguejos ainda não fugiram do laguinho, conversar com os passarinhos, ler na varanda ... coisas bem “Home Sweet Home”.
Mas no meu trabalho, eu tenho que passar algum tempo embarcada em algumas plataformas, e até mesmo por serem várias e eu não trabalhar em um fixa, os laços de amizade e de solidariedade às vezes são muito frágeis. Geralmente divido camarote com pessoas que nunca vi e tenho uma chance mínima de ver de novo. E isto aconteceu esses dias...
 Depois de um mês turbulento em setembro, com a minha cirurgia na mão e da licença médica, de enfrentar logo em seguida o tal do curso CBSP que não me deu tempo de recuperar a cirurgia como eu queria, deixei o filhote e viajei no Dia das Crianças para embarcar na P-53. Logo uma plataforma que eu nunca tinha ido e já tinha escutado tantas histórias!
 Já comecei a ficar triste na viagem, de ficar tanto tempo fora de casa, longe das coisas que mais gosto de fazer. Pensei em como seria aquela semana, quando acabasse o turno e eu voltasse para o camarote, e claro! Levei uma pilha de livros, palavras cruzadas, etc. para espantar a tristeza.
 Como não tinha lugar para mim na sala do pessoal do SMS, me colocaram na sala do TBM (gerência de Turbomáquinas). E não poderia ter acontecido coisa melhor! Conheci pessoas maravilhosas, que mesmo sem saber quem eu era, como eu era, de onde eu vinha, me fizeram sentir à vontade desde o primeiro momento. Um grupo muito legal, com o astral lá em cima, que me fizeram rir o tempo todo! Tudo pipa avoada como eu, e isso foi fantástico!

Começo falando do Binho (Fabio Aleixo) – que me mostrou uma foto e eu tive que pedir para colocar aqui no blog, de tão inusitada que era. Achei o máximo sua foto dentro de uma piscina Tone em cima de uma laje em Aracaju, tomando um latão da Nova Schin e falando no celular (detalhe do colchão ao fundo, quando der sono).
Sabe aquelas coisas surreais? Pois bem, se Salvador Dali fosse fotógrafo, esta seria com certeza uma foto dele! E acima de tudo, o cara é corajoso! Ele teve a ousadia de dormir na minha frente enquanto eu dava aula.
Tem também o Luiz Fernando, cuja vida a bordo é dividida entre os trabalhos na área e os biscoitos recheados. O cara é um formigão! Cheguei até a procurar o sobrenome dele no busca a empregados, pois tinha certeza que devia de ser da família “Atta”, ou seja, ele tinha o verdadeiro sangue (ou hemolinfa) das saúvas em suas veias (o nome científico do gênero das saúvas é Atta).

Completando a trindade de figurinhas raras temos o Ivan “Cago”, um paulista com sotaque bem característico que me convenceu a assistir um tal programa “Pânico na TV” (mas acabei perdendo a hora). O Ivan foi tão bonzinho que escreveu o meu caderno o que eu tinha que falar para ser uma verdadeira "paniquete" (por sinal é o título deste blog).
Com minha mente mais fértil do que o delta do Nilo, cheguei a imaginar na quadra da plataforma um jogo de futebol entre eles, o Capitão Nemo, o Tarzan, o Sherlock Holmes, o Batman entre outros do mesmo naipe.
Ah... também não posso esquecer de citar aqui o Zander House – senhor absoluto do quadro branco, que era o único que tinha o poder de desenhar e apagar qualquer coisa; o Hamilton, que é casado mas não sabe e o Elder, que todo mundo quer ser igual a ele (rsrsrsrs).
E sabe o que mais me encantou neste povo? Teve dia de “o bicho pegar na área” e eles virarem noite trabalhando, e nem assim a galera perdeu o bom humor. Acho que isso foi o melhor, todo mundo com cara de zumbi, mas mesmo assim sem perder a alegria, devorando os biscoitos recheados, mesmo estando sufocados de trabalho.
Ali eu me diverti muito – teve dias de eu literalmente chorar de tanto rir – o que me fez lembrar muito de um grande filósofo que dizia: “eu sei que a vida podia ser bem melhor e será! Mas isso não impede que eu repita, é bonita, é bonita e é bonita!”
Meus queridos "Meninos Turbinados", obrigada por esta semana!
De tantos anos, de tantos embarques, de tantas plataformas, VOCES FIZERAM A DIFERENÇA!
Beijos a todos, e claro, divirtam-se! Só não me chamem para ir a uma das festas do Binho...

4 comentários:

  1. Rô, eu nunca embarquei. Tenho muita vontade de embarcar um dia. Mas preciso confessar que acho que eu não aguentaria por muito tempo. Fico tentando imaginar como é essa vida... Mas eu acho que só vivenciando mesmo. Fiquei aqui rindo com esses meninos turbinados... Fico feliz que a sua semana tenha sido de trabalho, mas com muita descontração!
    Bjs,
    Carol

    ResponderExcluir
  2. Me mandaram o link por email, e quando comecei a ler, soh me veio sua imagem na sua cabeça... bjs Ro. Arruda

    ResponderExcluir
  3. Demoro. Topo por que, Não? Vamos cair pá dentro. POr que não.!!!!!

    Obrigado, saíba que a recíproca e veradeira.

    Bjos, Bjos e Bjões!!!!!

    ResponderExcluir