22 de agosto de 2009

DORIANS E MEPHISTOS

Estas duas personagens para mim representam os arquétipos que encontramos no nosso dia-a-dia.
Temos vários “Dorian Gray” rondando nossas vidas. Na estória de Oscar Wilde (O retrato de Dorian Gray), Dorian é um homem belíssimo, com seus traços angelicais e juventude eternizados.
Todos se encantam por ele, mas só ele sabe que sua beleza foi trocada pela sua alma. E o grande mata-borrão de sua alma é um quadro escondido no sótão de sua casa – ninguém sabe dele ou pode vê-lo. Neste quadro estão todos os anos, maldades, devassidão e egoísmo do belo Dorian.
E quantos Dorian encontramos no nosso dia-a-dia!
Aqueles cujo verniz social os faz esconder nos sótãos de sua alma verdadeira chuva de hipocrisia. È aquela pessoa que nos passa a impressão de ser um ótimo colega de trabalho, pai de família, marido, esposa, e de por trás agem como se fossem “monstros” em suas atitudes.
São Dorians que guardam em seu sótão mental aquilo que eles têm de pior, e que se faz apresentar quando menos esperamos.
Os Mephistos são um pouco diferentes.
Na estória de Klaus Mann, Mephisto quer se aproveitar das oportunidades ofertadas pelos nazistas para se tornar o melhor ator da Alemanha.
Assim como tantos Mephistos que conhecemos, mascarados nas pessoas que se vendem para continuar no poder – qualquer poder.
É aquele que se torna amigo do chefe para obter benesses, o que se relaciona com os poderosos para desfrutar do poder, que é amigo do síndico para saber as fofocas.
E para ambos os arquétipos, temos uma mudança no psiquismo das pessoas, pois usam tantas máscaras que no final nem sabe quem são na realidade. Alicerçam sua vida no poder temporal, nas “personas” de cada teatro que representam para a vida.
Mas um dia se aposentam, os filhos crescem, o corpo envelhece. O que fazem, o que sentem, o que sobra da humanidade dentro de si?


Até a próxima!

19 de agosto de 2009

ORQUÍDEAS - Incursões Fotográficas

Sou apaixonada por orquídeas! Como sempre falo, a orquídea é a mais mulher das flores. Só desabrocha se for muito bem cuidada.
Estas fotos foram tiradas durante uma exposição no Jardim Botânico do Rio de Janeiro e dividirei aqui com voces as mais exóticas que pude ver.

18 de agosto de 2009

VELHO CEGO, CHORAVAS - Pablo Neruda

(O mar que Pablo Neruda olhava pela janela ...)

VELHO CEGO, choravas quando tua vida era
boa, quando possuías nos teus olhos o sol:
Mas se o silencio já chegou, o que é que esperas,
O que é que esperas, cego, desta maior dor?

Em teu rincão pareces menino nascido

Sem os pés para a terra, sem olhos para o mar
E como os animais dentro da noite cega
- sem dia e sem crepúsculo - cansas de esperar.

Porque se conheces o caminho que leva
Em dois ou três minutos para a vida nova,
Velho cego, o que esperas, que podes esperar?

E se pela amargura mais dura e destino,
animal velho e cego sem caminho e tino
eu que tenho dois olhos saberei te ensinar

(Pablo Neruda, do livro Crepusculário)

17 de agosto de 2009

DESERTOS E EMOÇÕES - Minhas Viagens

(Entrada da Casa de Pablo Neruda)
Em 2007, eu tive a oportunidade de viajar pela América do Sul de carro.
Foram quase vinte dias onde eu descobri um mundo inteiramente novo. Desci até Santa Catarina, onde entrei por Dionísio Cerqueira.
De lá cruzei o noroeste da Argentina e cheguei a Salta, uma das cidades mais bonitas e culturais que já conheci. Seus museus me encantaram e lá eu tive meu primeiro “porre” de champagne (ah... época do dólar baratinho...)
Cruzei a Cordilheira dos Andes, para conhecer o Gêiser El Tatio, que fica próximo a São Pedro do Atacama, já no Chile. De lá, desci pelo deserto do Atacama até chegar a Viña Del Mar e a Isla Negra.
Isla Negra ... Foi um dos poucos lugares até hoje que mais me emocionaram. Vi e toquei a casa e os objetos de Pablo Neruda, que se fosse possível, não precisaria ter braços, pernas, rosto, apenas coração. Como chorei! Parecia que eu sentia sua poesia em cada parede da casa.
Entrei de novo na Argentina e conheci Córdoba, Mendoza, tantas cidades bonitas e peculiares – e de lá – BRASIL!

2008: EU FUI AO FIM DO MUNDO!


Em 2008 repeti a aventura de carro, desta vez para o sul da Argentina – EU FUI AO FIM DO MUNDO!
Antes de chegar a Ushuaia, conheci o Glaciar Perito Moreno, em El Calafate, me encantei com a Floresta Petrificada de Sarmiento, andei de barco em Angostura, conheci pingüins e leões marinhos. Enfim, rodei muito antes de chegar ao Fim!
Estarei colocando aqui algumas fotos que tirei, junto com comentários e emoções.
As cores que vi, os sons que ouvi, os odores que senti. Tudo isso está gravado no meu Templo Imortal.


Ah... Não pretendo colocar em ordem cronológica.

Quem quiser com detalhes as rotas por onde passei, irei enviar com o maior prazer. Aqui só vale a emoção

16 de agosto de 2009

UM COMEÇO - A Viagem da Vida

Sempre fui um Espírito inquieto!
O mundo é tão rico de cores e sons, de possibilidades!
Fica difícil me acostumar a uma rotina.
Então descobri várias formas de viajar ...
Fotografia, música, viagens, jardinagem ...
Mas a maior delas - com certeza - é a viagem para dentro de mim mesma.

E penso, escrevo, medito, modifico, apago, torno a escrever
E como exteriorizar todo este turbilhão de emoções, vivências, dores e alegrias?
Compartilhando com quem quiser o que existe de mais sagrado na minha vida - minhas experiências
Eu sou o Templo da minha própria construção

E assim começa este blog...

Hoje, domingo, estou sentada na varanda da minha casa, olhando os cachorros brincarem, em uma rua silenciosa do Rio de Janeiro. Não ligo a música pois os passarinhos se encarregam disso.

E no "silêncio da natureza" que me cerca começo mais uma reflexão...
Quando eu desencarnar, até a roupa que me vestirem vai ficar.
Desta vida, levarei apenas o meu Templo, que espero seja habitado pelas cores, sons e sentimentos que me gravaram a alma durante esta existência.

E voce, o que pretende levar?

Um grande abraço!